O comitê de Política Monetária (COPOM) divulgou ontem (07/02/2018) nova queda da taxa SELIC. A taxa de juros, considerada referência para economia brasileira passou de 7,00% para 6,75; uma queda de 0,25%.

Como sempre todos os jornais vão noticiaram a queda, mas o que você, pessoa física ou sua família tem a ver com a Selic?

Vou inicialmente explicar o significado da SELIC, tentando deixar claro, de forma simples o que a taxa significa.

A Taxa Selic é calculada pelo Banco Central do Brasil pela média ponderada dos juros praticados pelas instituições financeiras. A taxa reflete em média quanto o Governo paga a quem comprar seus títulos.

Pense no Governo como uma empresa. Quando falta dinheiro no caixa ou na conta bancária, as empresas decretam falência, ou pegam dinheiro emprestado com bancos, pagando juros sobre valor que tomaram emprestado.

Com o Governo é a mesma lógica. Quando o Governo fica sem dinheiro para pagar suas contas, ele pega dinheiro emprestado e paga juros. O empréstimo feito pelo Governo paga, em média, os juros iguais a taxa SELIC.

Ok até aqui, mas então explica o que eu tenho a ver com a SELIC?

No que ela muda minha vida cotidiana?

Na prática, quando a SELIC cai, o Governo está sinalizando que pagará ou está pagando menos juros para se financiar. Isso reduz a rentabilidade de fundos de renda fixa e dos títulos do governo como tesouro direto e outras aplicações. A SELIC acaba sendo uma referência que ancora o mercado financeiro.

Leia nosso post sobre como a Selic pode ser usada como instrumento de Economia Comportamental.

Então você já entendeu né?

Com a Selic em queda, é hora de procurar outros investimentos como ações de empresas negociadas na bolsa ou fundos de investimento, contratos futuros, que geralmente têm maior exposição a ativos de risco, porém remuneram melhor.

Afinal de contas, com os juros em queda, o consumo tende a crescer, e com ele as empresas também. Com a queda dos juros, empresas são estimuladas a investirem em seus negócios, pois os juros são pequenos, o que aumenta a rentabilidade do investimento. Empresas crescendo refletem mais positivamente na bolsa de valores.

Se bem que a bolsa já foi um excelente investimento no passado. E tudo indica que este ano pode não ser diferente. Claro que não tenho bola de cristal, mas parece que 2018 será melhor aplicar dinheiro nas empresas que no Governo.