De tempos em tempos novos termos surgem para dar conta da uma ou várias mudanças sociais ou econômicas. Já vimos termos como web, big data, BRICS, twitter e muitos outros se tornarem universais em todos os idiomas utilizados pelo mundo.

Mais do que neologismos, os termos são registros da evolução do conhecimento humano e de como este conhecimento transforma a realidade. Um novo termo tem sido muito usado para definir um mercado em franca ascensão nos últimos anos: Crypto Market.

Usado para definir o mercado onde transações financeiras são realizadas com arquitetura baseada em criptografia de alto nível para transações e estabelecimento de moedas digitais, o Crypto Market vem sendo cada vez mais incorporado ao vocabulário de investimentos e análises econômicas.

O Crypto Market é composto por uma série de moedas digitais que são utilizadas como um recurso digital projetado para funcionar como meio de troca, usando criptografia para garantir as transações e controlar a criação de unidades adicionais de uma moeda digital.

A mais famosa moeda digital ou crypto currencey sem dúvidas é o Bitcoin.  A “moeda” criada em 2009 tornou-se naquele ano, a primeira moeda digital e desde então vem conquistando cada vez mais espaço como opção de investimento e moeda de troca em transações comerciais.

Sabemos que existe muita polêmica em torno do mercado de moedas digitais. As mais calorosas discussões tratam de avaliar o risco destas operações, os movimentos especulativos e a segurança em se investir. Outras ainda vão mais fundo, discutindo se moedas como o Bitcoin, podem ser tratados com dinheiro ou se há ainda um longo caminho para serem consideradas como tal.

Enquanto ainda não há consenso sobre o Crypto Market, investidores e empresas têm se aumentado sua exposição a este tipo de “moeda” levando o mercado a movimentar somas cada vez mais expressivas.

O site How Much fez um levantamento comparativo sobre o tamanho do Crypto Market e questionou se esta não seria a segunda bolha das empresas .com que estaria se materializando no mercado. Quanto a isso é difícil dizer, no entanto considero o questionamento pertinente.

Alguns movimentos parecem ser meramente especulativos e desprovidos de qualquer avaliação sóbria de riscos. O fato é que por enquanto ninguém consegue entregar qualquer garantir razoável a quem investe em Bitcoin. Se considerarmos a liquidez restrita das moedas digitais o nível de risco beira à insanidade.

Enquanto não acontece nada de grave no Crypto Market muitos têm relatado ganhos expressivos, no entanto cautela deve estar sempre na ordem do dia. Afinal como aconteceu com a China, que baniu o bitcoin de seu mercado e das transações na internet, o mesmo pode acontecer com outros países. Estes movimentos afetam a liquidez da moeda, restringindo sua aceitabilidade e tornando-a menos universal.

Moedas sem liquidez não sevem para muita coisa, da mesma forma que rendimentos. Ganhar bitcoins pode ser um bom investimento, mas apenas se você consegue transacionar com os ganhos que teve. Afinal de que me serve uma moeda se ninguém a aceita?

Outro ponto importante é se atentar para a cotação. As moedas digitais possuem cotações oficiais, no entanto, no mercado real é preciso compreender se esta cotação será a mesma das transações de investimento. Como ainda temos poucos parâmetros de preços em moeda digital como Bitcoin, fica complicado saber realmente se a cotação para uso como moeda obedecerá a cotação negociada no mercado de investimentos.

Uma coisa é certa. O mercado está em ebulição e ficar de fora dele pode ser uma opção com alto custo psicológico para investidores. No entanto enquanto o Crypto Market não ganha corpo normativo, cabe cautela, afinal, caso algo ilegal, inesperado ou imprevisto aconteça, a quem você irá reclamar? Uma dica: não será no Banco Central, nem CVM (Comissão de Valores Mobiliários), nem em nenhum órgão regulador brasileiro.

A verdade é que não há quem possa responder hoje pelo bitcoin. Sendo assim meça seus riscos e caso não queira ficar de fora da nova novidade, seja conservador ou definir o percentual de sua poupança você irá aplicar nessa possível bolha.