Pesquisei sobre possíveis nudges que condicionassem alguma decisão pessoal no aspecto financeiro, encontrei uma serie de materiais interessantes, porém um me chamou bastante atenção.

De acordo com o relatório global Findex do Banco Mundial de 2014, apenas 10% dos afegãos têm uma conta bancária, em contrapartida 60% dos afegões têm telefones celulares.

%

% Afegãos com Conta bancária

%

% Afegãos que têm celular

Em parceria com a “Roshan” (principal operadora móvel do Afeganistão) foi criado e implementado um programa de poupança que pode deduzir automaticamente um percentual do salário dos seus funcionários para a poupança, através de uma conta- carteira virtual em seus smartphones.

Os resultados apontam que os funcionários que estavam automaticamente matriculados para ter 5% do seu salário mensal deduzido, eram 40% mais propensos em contribuir com a poupança do que aqueles que não eram matriculados.

Nessa intervenção, fica evidente o efeito do opt in automático, materializado pela inscrição automática esse manifestando de forma significativa. No final desse programa mais de 45% dos funcionários da Roshan optaram por continuar com contribuições mensais para poupança.

Esse exemplo pode ser relacionado com o já conhecido programa “SMART” (Save More Tomorrow) – onde intervenções com o uso de padrões, foram utilizadas para aumentar as taxas de poupança dos funcionários.

Os resultados dão conta de um aumento automatico na percentagem do salário dedicado a poupança. Os participantes tiveram aumento médio de 3,5% para 13,6% ao longo de 40 meses, enquanto as taxas de poupança permaneceram estagnadas em outras condições.

Um excelente exemplo de Nudge!

CRÉDITO:

Este texto foi escrito por Felipe Pouza aluno do MBA em Economia Comportamental da ESPM.