Uma recente pesquisa da Mckinsey realizada com executivos ao redor do mundo avaliou as condições econômicas e riscos para as economias ao redor do mundo. A pesquisa que teve mais de mil pessoas de cargos executivos sendo consultadas mostrou, além das expectativas referente ao cenário econômico, um viés muito estudado na Economia Comportamental. Um dos assuntos pesquisados pela Mckinsey foi a instabilidade política. Os resultados não poderiam ser mais interessantes do ponto de vista comportamental. Na descrição dos resultados a empresa relata o seguinte:
“…os entrevistados relatam uma grande preocupação com a instabilidade geopolítica, especificamente no Oriente Médio e na África do Norte. Os ataques terroristas tornaram-se a preocupação número dois, com os executivos citando essa ameaça com mais frequência do que em qualquer pesquisa anterior. ” Global Survey results Economic Conditions Snapshot, June 2017

McKinsey

heuristica-disponibilidade-mckinsey-pesquisa
A pesquisa não poderia ter resultados mais previsíveis relativos aos riscos geopolíticos de atentados terroristas. Mas essa previsibilidade certamente é mais evidente para aqueles que já tiveram contato com a heurística da disponibilidade. A heurística da disponibilidade A heurística da disponibilidade leva as pessoas a fazer julgamentos sobre a probabilidade de um evento com base na facilidade com que um exemplo, uma ocorrência ou um caso vem à mente. (Tversky e Kahneman, 1974). Sendo a pesquisa realizada no mês de junho é muito provável que os atentados de Londres tenham provocado uma forte influência, ativando a heurística da disponibilidade.
heuristica-disponibilidade-mapa-terrorismo
Essa ativação foi reforçada pela grande exposição dos acontecimentos em Londres, amplamente explorados pela impressa internacional e com impactos inclusive para o processo eleitoral em andamento no país. Ajuda ainda a contribuir para que a heurística da disponibilidade esteja interferindo nos resultados da pesquisa, o fato de haver, muito provavelmente, entrevistados ingleses certamente mais afetados por lembranças dos acontecimentos em Londres. Uma vez que sofreram exposição maciça da imprensa e ainda das ações do Parlamento Inglês interferindo nos níveis de segurança e policiamento na cidade, os ingleses tiveram uma exposição excessiva aos fatos o que reforça a hipótese de terem respondido a pesquisa com forte ação da heurística da disponibilidade. Em menor intensidade, mas também muito afetado pelos acontecimentos e grande exposição aos eventos terroristas, os europeus também são um caso em que a hipótese de atuação da heurística da disponibilidade pode ter atuado de maneira decisiva influenciando os resultados da pesquisa. Segundo consta no relatório da pesquisa, os entrevistados foram divididos conforme o gráfico abaixo:
heuristica-disponibilidade-mckinsey-pesquisa

Novamente nenhuma surpresa aqui. Do total de respondentes (N = 1.161), 29,5% dos participantes da pesquisa eram europeus. A empresa não informou a quantidade de ingleses. No entanto a quantidade de europeus foi bem representativa chegando próximo dos 30% com o maior número de respondentes em comparação com as demais regiões. É importante avaliar, neste caso, como a Economia Comportamental é importante para processos de pesquisa e análise como esse realizado pela Mckinsey. Não estou querendo julgar, nem muito menos questionar a validade da pesquisa ou do relatório, afinal tive pouco acesso à metodologia para inferir a respeito dos resultados.

No entanto sendo estudioso da Economia Comportamental e se estivesse na condução da pesquisa em questão, daria atenção para uma análise excluindo os ingleses da amostra e outra excluindo os ingleses e europeus. Essa simples análise de dados, levando em consideração que a heurística da disponibilidade possa intervir nos resultados, daria nova visão daquilo que foi pesquisado.

heuristica-disponibilidade-economia-comportamental

É evidente, no entanto que mesmo havendo presença da heurística da disponibilidade o fato de terem ocorrido vários ataques recentes em Londres e na Europa, servem para que todos se atenham e atribuam mais importância ao risco de terrorismo. No entanto, do ponto de vista de segurança, da mesma forma como aconteceu nos EUA após o 11 de setembro, o aumento das ações de segurança e de investigações tendem a reduzir a incidência dos atentados após um período em que os mesmos ocorreram com frequência.

Assim esperar um aumento no risco de ataques, sabendo que os níveis de segurança e alerta serão elevados e que haverá ainda mais critério em investigações e monitoramentos de suspeitos, não parece razoável. Novamente a heurística da disponibilidade aqui tem provável efeito negativo para a pesquisa e que poderia ser tratado como disse acima, com análises simples isolando os resultados das respostas dos ingleses e europeus e comparando com as demais regiões do mundo. Isso sem contar que, com as informações fluindo em tempo real pelo mundo, pode até ser possível que os demais respondentes também tenham sido afetados pela heurística da disponibilidade. Fica a dica: não deixe de considerar a Economia Comportamental nos estudos e pesquisas. Na pior das hipóteses alguns controles adicionais serão propostos melhorando a qualidade dos resultados. Na melhor, a pesquisa produzirá dados muito mais precisos.

Acesse a pesquisa completa