O gigante do conteúdo on demand Netflix reajustou o valor de sua mensalidade padrão acima da inflação e passará a cobrar mais dos assinantes brasileiros a partir do mês agosto de 2016.

O aumento foi 15,07% ante uma inflação da ordem de 9,32% medida pelo IPCA anualizado até o mês de maio de 2016.

Gráfico via: Bacen BR

Gráfico via: Bacen BR

Para aqueles menos exigentes, o Netflix tem um plano mais barato que não inclui a reprodução do conteúdo em HD (High Definition). Mas se você é dos mais exigentes… A conta fica ainda mais cara. O Pacote Premium que inclui a reprodução em Ultra HD passa a custar R$29,90.

Netflix: consultado 04 de julho de 2016

Netflix: consultado 04 de julho de 2016

O reajuste certamente é muito pior para os consumidores do que para investidores que viram as ações da companhia ensaiar uma recuperação nos últimos meses. Com cotação recorde na bolsa NASDAQ em dezembro de 2015 acima dos US$130,00 na última semana as ações saíram do vale de US$85,20 para US$96,69.

netflix-nasdaq

Tudo pode melhorar após passado o reajuste, mas isso vai depender do impacto que a mudança nos preços tiver na base de usuários do Netflix. Caso haja retração, o que parece impossível, há uma tendência para as ações não avançarem para além dos US$100,00.

Gráfico by: Statista

Gráfico by: Statista