A simbiose dos mercados mundiais com a China impressiona e preocupa muito. Impressiona pelo volume e preocupa pela dependência.

A preocupação é clara e já se tornou tema polêmico nas eleições dos EUA, onde Donald Trump já chegou até a declarar proibição de importações chinesas se caso seja eleito.

Apesar de parecer esdrúxula, a proposta de Trump tem algum respaldo econômico, afinal os EUA estão cada vez mais aumentando seu déficit comercial com a China e isso certamente é um componente de instabilidade em seu balanço de pagamentos.

Para se ter uma ideia, as importações chinesas aumentaram nada menos do que 123 vezes desde 1985. Nada mal, não é mesmo? O gráfico abaixo mostra as exportações dos EUA para a China (em verde) e da China para os EUA em (vermelho).

[toggle title=”EUA Exportações e Importações da China” load=”show”][/toggle]

Mas a solução para essa situação não é nada fácil. As exportações chinesas fecharam postos de trabalho nos EUA, pois grande parte dos produtos exportados passaram a ser fabricados na China. A China não conquistou isso sem querer. O país tem custos de produção muito menores que os EUA e assim fica fácil entender porque os americanos exportaram parte da sua produção para a China.

Mas os preços dos produtos importados chineses também vêm crescendo. Fruto da evolução do mercado por lá, com aumentos de direitos trabalhistas e melhoria de salários.

É verdade que a China ainda tem custos menores, muito devido a algumas práticas condenáveis em termos de direitos trabalhistas e condições de trabalho de seus trabalhadores, mas isso é outro assunto. Mas falando nisso…

Os EUA têm ainda outro problema relacionado ao preço de suas importações. Desde 1985, os valores vêm apresentando inflação considerável e as projeções são igualmente pessimistas. Veja no gráfico abaixo.

[toggle title=”Importações EUA – Preços” load=”show”]
source: tradingeconomics.com[/toggle]

A queda nos custos de produção, agora que muito foi transferido dos EUA para ser fabricado na China, trouxe também benefícios para a economia americana. Mas a julgar pelo aumento dos preços nas importações americanas, esse benefício pode estar próximo do fim.

Tudo isso reflete na economia americana que já iniciou um processo que no mercado chamamos de bring back to manufacturing.

Gráfico By: Market Watch

Gráfico By: Market Watch

Enfim a equação China dependente não será fácil de resolvida pelos e esse mesmo desafio também se impõe a outros países ao redor do mundo, pelo menos até que a China se torne um país capitalista de verdade.

Bom final de semana e bom rally do impeachment para todos!